Porsche 550 SPYDER - Uma outra história de sucesso

24 Horas de "A Bola" 1953

A equipa Ernesto Martorell / Jorge Seixas, em Porsche 356 1500, vencedora da segunda edição das 24 Horas de "A Bola" disputadas em 1953, à frente do Allard de D. Fernando Mascarenhas e do MG de José Ferreira Batista. Manuel Soares Mendes, também em Porsche, terminou no quarto lugar da classificação geral.




O Porsche de Abreu Valente

Editado recentemente com o apoio do Centro Porsche de Faro este interessante trabalho de José Barros Rodrigues desenvolve-se em volta do HH-20-96, o Porsche 356 1300 que José Luis Abreu Valente utilizou maioritariamente em ralis entre 1954 e 1957. Tratando-se de um modelo cujo motor na sua versão básica debitava uns modestos 44 cavalos a 4200 RPM só o inegável talento do piloto conseguiu fazer dele um carro vencedor, como o demonstram as várias vitórias conseguidas quer na classe quer em termos absolutos. 
Abreu Valente, que continua vivo e de boa saúde tendo recentemente sido alvo de uma homenagem por parte do Porsche Clube 356 Portugal, estreou-se em competição em 1949 no circuito improvisado nos jardins do Sporting Clube de Cascais (Parada) pelo Conde de Monte Real, figura de primeiro plano do automobilismo nacional cujo centenário de nascimento ocorreu no passado dia 31 de Julho.
Desconhece-se o paradeiro actual do HH-20-96.


Novamente os Spyder 550

Duas imagens recentemente descobertas na imprensa da época (1955): o Porsche 550 Spyder de D. Fernando Mascarenhas durante a Volta ao Minho, que venceu, e o carro idêntico de Joaquim Filipe Nogueira nos 500 km de Nurburgring, prova que terminou num brilhante 10º lugar em parceria com José Arroyo Nogueira Pinto, que guiou o Porsche nº 3 vermelho durante a parte final da corrida devido a indisposição do piloto titular.
Fotos - jornal "O Volante"



39th International Porsche 356 Meeting Estoril - Portugal 2014

Um interessante registo fotográfico da passagem por Sintra de alguns dos duzentos carros participantes no 39º International Porsche 356 Meeting de 2014. A música de Mozart não podia vir mais a propósito. Ora vejam.
O trabalho é de Gui Bernardes

Rallye Feminino do Estoril

Maria Amélia Passanha Guedes, vencedora do I e II Rallye Feminino do Estori, classificou-se em segundo lugar na edição de 1953 da mesma prova ao volante de um Porsche 356 pre-A.
A fotografia é do jornal O Volante


Variações Sobre um Mesmo Tema





Breve crónica sobre as mudanças de visual do FE-22-24, Porsche 550 Spyder chassis #550-0039
Importado pela Guérin em 1955 foi originalmente branco, depois foram adicionadas duas faixas vermelhas. O primeiro proprietário foi Joaquim Filipe Nogueira Filipe Nogueira que a meio da temporada lhe mudou o visual para vermelho .
Em 1956 foi cedido a José Manuel Simões que após ter sofrido um grave acidente em rali  lhe mudou  a cor para o branco original e assim se manteve até ao final de 1957.

Foi vendido a Ruy Marinho de Lemos / Carlos Faustino em 1958 tendo sido usado amplamente  por ambos até 1962. Alugado a Mário Araujo Cabral (Nicha) para fazer duas corridas, Grande Prémio de Cuba e Angola.
Em 1963 foi vendido a Manuel Duarte Júnior que o fez pintar de azul metalizado.
Texto de Luis Sousa 
Imagem - Filipe Nogueira durante o Circuito de Nurburgring de 1955, prova que terminou em 10º lugar

Por Terras do Montejunto

A paisagem é única, a Fábrica do Gelo e a Quinta do Gradil também. Crónica de um dia em "très petit comitè" passado pelas alturas e pelas vistas da serra do Montejunto.





58 anos de Experiência

João Gomes (à direita, na foto de cima) entrou para a Guérin em 1958 e juntamente com os mecânicos Gilberto Correia e Bartolomeu viria a integrar a partir de 1961 a primeira equipa da empresa a trabalhar exclusivamente em Porsche 356. Exactamente 58 anos depois continua a trabalhar nos "flat four" da Porsche  com o mesmo entusiasmo de sempre como se constata por esta fotografia obtida ontem mesmo na Garagem que ostenta o seu nome. Se tudo correr como previsto o Porsche 356 Cabrio da imagem poderá voltar à estrada nos próximos dias após uma paragem de alguns meses.



Um Português no Nurburgring

A 25 de Maio de 1956 disputaram-se na Alemanha os 1000 km de Nurburgring, já então uma clássica do automobilismo mundial. Esta prova de resistência contou com a participação do piloto português Joaquim Filipe Nogueira que partilhou o volante do Porsche 356 Carrera número 65 com Helmut Schulze, carro que aqui vemos em perseguição do modelo idêntico de Helmut Zick / Hans-Georg Plaut com o número 63. No final o Carrera de Nogueira / Schulze conquistou um brilhante 10º lugar na classificação geral enquanto que o Porsche de Zick / Plaut teve que se contentar com o 15º. Os vencedores seriam Piero Taruffi, Jean Behra, Harry Schell e Stirling Moss em Maserati 300S.
A foto é de George Phillips




Monte Carlo 1959

Apenas duas equipas tripulando Porsche 356 escolheram Lisboa como ponto de partida para o Rallye de Monte Carlo de 1959, infelizmente nenhuma delas composta por portugueses. O carro nº 41, que se vê nas imagens durante as verificações técnicas realizadas nas instalações do ACP, pertencia aos australianos Edgar Perkins e Gregory Cusack e viria a terminar num modesto 127º lugar da classificação geral. O Porsche nº 56 de Alex Gacon / Robert Buchet também partiu de Lisboa e teve melhor sorte, acabando o rallye em 18º lugar.
Fotos de cima - Centro de Documentação do ACP




A Génese

Assim começou a ganhar forma aquele que viria a ser "o pai de todos os Porsches", desenhado em meados da década de 40 no gabinete de Ferry Porsche com a indispensável colaboração de Erwin Komenda. As formas, as proporções, os tamanhos, tudo parece estar presente naquele que é um dos primeiros esboços conhecidos da génese do projeto 356 nascido a 11 de Junho de 1947, há exatamente 69 anos. O propulsor adotado seria o Type 369 que não era mais que um motor Volkswagen com válvulas dispostas em "V" e dois carburadores colocados diretamente sobre os cilindros. O resto da história já é sobejamente conhecido.



Preços

A importação de automóveis Porsche em Portugal começou a ter lugar formalmente em 1951 através da Guérin, ainda que em finais de 1950 tenham chegado três exemplares ao nosso país importados directamente pelos respectivos proprietários. O preço dos Porsche surge pela primeira vez nesta listagem elaborada pelo ACP no início de 1951 e merece comparação com as outras marcas disponíveis no mercado nacional.





Telebanco

Porto, 1965. Um Porsche 356 Roadster é utilizado para o primeiro teste realizado em Portugal com uma caixa ATM na altura chamada Telebanco.
Foto - Casa Comum, Fundação Mário Soares




A Despedida

Nem só de alegrias é feita a vida dos Porsche 356. As imagens são de hoje, 24 de Maio, no cemitério de Rio de Mouro. 





Alberto Graça, Estoril 1952

O Porsche 356 pre-A 1300 de Alberto Graça durante a classificativa final do VI Rallye Internacional de Lisboa (Estoril) de 1952, prova que terminaria em 16º lugar absoluto. Todos os concorrentes que concluiram o rallye receberam um exemplar da placa colorida cuja imagem se junta
Foto - Centro de Documentação do ACP
Bibliografia - "Gonga World" de Gonçalo Macedo e Cunha